Confira seis dicas de como otimizar a taxa de conversão de um e-commerce Magento

Confira seis dicas de como otimizar a taxa de conversão de um e-commerce Magento

Uma das principais dificuldades de quem tem loja virtual é aumentar a taxa de conversão.
Com o Magento 2, é possível aproveitar os recursos da própria plataforma para tornar a navegação mais intuitiva e envolvente para o usuário e, assim, ter mais chances de fidelizar um cliente.
Veja abaixo seis dicas que ajudam a deixar as lojas virtuais Magento otimizadas para melhorar a taxa de conversão:

1. Conteúdo multimídia

Além do descritivo do produto por escrito e detalhado, publicar vídeos ajuda o consumidor a entender como a mercadoria funciona ou como deve ser montada, por exemplo. O Magento 2 tem suporte para vídeos e para recursos que permitem melhorar o tempo de carregamento da página.

2. Busca refinada

Alguns módulos de extensão compatíveis com Magento ajudam a tornar a busca por produtos no site mais assertiva. O ideal é escolher uma extensão que tenha, pelo menos, preenchimento automático e correção do texto dos termos de pesquisa, sinônimos de busca quando o termo exato não for encontrado (“Você quis dizer…?”) e possibilite pesquisar por alguma característica da mercadoria.
Quando o cliente encontra o que ele procura ou um produto similar, a chance de conversão aumenta.

3. Pagamentos

Ter opções de pagamento via Facilitadores ou Gateway de pagamento, como Braspag e Adyen, ou poder ter memorizado os dados dos cartões de crédito agilizam a compra e podem aumentar as vendas de um e-commerce. Boletos bancários dão poder de consumo àqueles que não possuem cartão de crédito.
Em algumas lojas é possível pagar a mercadoria por meio de transferência bancária. O depósito em conta é um módulo nativo do Magento, mas é possível e necessário instalar módulos para outras formas de pagamento.

4. Clientes B2B e B2C segmentados

Se o mesmo site vende produtos para consumidores finais e para empresas, segmentar o acesso aos produtos garante que cada tipo de cliente verá o conteúdo destinado a ele.
O projeto Parceiro Ambev, por exemplo, é um site de vendas B2B, mas que permite cadastro com CPF para acesso a determinados produtos pelo consumidor final, embora os cadastros feitos com CNPJ tenham mais vantagens de compra. O site foi desenvolvido pela Webjump na plataforma Magento Enterprise.

5. Análise de dados

O Magento inclui suporte para o Google Analytics, que é uma das mais importantes ferramentas para entender o comportamento de compra do consumidor. Métricas como taxa de conversão e duração média da sessão devem ser analisadas frequentemente. A taxa de saída também é importante, pois pode indicar que o e-commerce tem conteúdo que não é interessante ou que a velocidade do site não está adequada. A métrica Origem-Tráfego pode mostrar quais são as principais fontes de entrada de um site, seja busca orgânica, pesquisa paga ou redes socais, por exemplo. Não necessariamente estão relacionados à receita da loja virtual, mas podem sugerir quais páginas merecem investimento ou melhorias na comunicação com o cliente para atrair mais tráfego assertivo.

6. Remarketing

Entre outras vantagens, o remarketing dinâmico permite exibir anúncios de produtos para pessoas que já visitaram o site. Para isso, a ferramenta de anúncios deve coletar dados, como os IDs dos produtos ou serviços visualizados, para gerar uma lista de remarketing. Para que os anúncios sejam exibidos, a lista deve ter um número mínimo de visitantes. Clique aqui para ver como isso pode ser feito pelo Google Adwords.
O código de remarketing gerado pela ferramenta de anúncios deve ser adicionada ao e-commerce ou, se a loja virtual já for vinculada ao Google Analytics, é possível usar somente o código de acompanhamento da ferramenta. A plataforma Magento pode ser integrado às ferramentas do Google, incluindo o Analytics.

Envie um Comentário

YOUR CAPTCHA HERE