Primeiro profissional da Magento a atuar no Brasil, Rodrigo Poppi cita a importância de suprir as necessidades do mercado de e-commerce

Primeiro profissional da Magento a atuar no Brasil, Rodrigo Poppi cita a importância de suprir as necessidades do mercado de e-commerce

Rodrigo Poppi é gerente de vendas Enterprise da Magento no Brasil. Primeiro funcionário da marca no País, ele tem ampla experiência no mercado digital e será responsável pelas vendas da versão Enterprise da plataforma.

À WEBJUMP, ele falou sobre as necessidades do mercado e da importância de entender o comportamento do consumidor atual na hora da compra, para aperfeiçoar cada vez mais a ferramenta.

Webjump: Você é o primeiro profissional a representar a Magento no Brasil. Como avalia a importância de a plataforma ter um profissional no País?

Rodrigo Poppi: Estamos falando da plataforma mais usada no mundo, com 1 em cada 4 sites [como cliente]. As oportunidades acontecem quando há exposição e, apesar do market share expressivo, estar in loco traz mais credibilidade e concretiza muito mais negociações do que à distância.

WJ: O número de grandes empresas e marcas que adotam a Magento Enterprise como plataforma é crescente. Qual a visão e trabalho de expansão da Magento em território nacional? Qual o foco e quais clientes potenciais a Magento quer ter no Brasil?

RP: A marca Magento já está consolidada. Por termos pleno conhecimento do potencial da solução Enterprise (Magento Commerce), toda empresa que visa expandir seu negócio com segurança em escalabilidade, agilidade e flexibilidade, é foco da Magento. A intenção é estarmos disponíveis e mostrarmos nossos diferenciais ao mercado, criando, com o tempo, uma sólida estrutura local/regional, para atender o cliente que busca seu espaço, usando as tecnologias mais avançadas do comércio eletrônico.

“Ouvimos as tendências do consumidor moderno, a necessidade de unificar a operação, centralizar o administrativo e oferecer a possibilidade de manter tudo que envolve transações e processos logísticos sob controle do lojista”

WJ: Os produtos que a Magento oferecia eram basicamente as versões Community e Enterprise, mas, no último ano, para investir mais em Digital Commerce, a empresa adicionou serviços como o Business Inteligence, o Enterprise Cloud e o Order Management. Como você vê a capilaridade desse novo portfólio no Brasil?

RP: A Magento tem investido fortemente nos últimos anos em infraestrutura e capacitação de material humano. Este foco veio da observação do mercado: ouvimos as tendências do consumidor moderno, a necessidade de unificar a operação, centralizar todo o administrativo e oferecer a possibilidade de manter tudo que envolve transações e processos logísticos sob controle total do lojista. A tecnologia Magento hoje está preparada para trazer confiabilidade ao gestor de e-commerce, para que ele esteja focado em marketing, merchandising e promoções, e estudando as melhores formas de atrair clientes para o site.

WJ: O Magento 2 já apresenta ótimos resultados ao redor do mundo e novas funcionalidades estão sendo preparadas e serão lançadas na versão 2.2, como um sistema B2B nativo, integração direta com o Facebook para criação de loja e também um sistema de gestão de conteúdo incrível. O que podemos esperar do Magento no quesito inovação?

RP: Estamos constantemente ouvindo o que o consumidor quer, como prefere comprar, quando e de que maneira. Hoje o comprador escolhe se retira na loja – e em qual delas -, se manda entregar, por quais canais prefere ser contatado, como lhe é conveniente navegar no site, e o conteúdo que mostramos para ele precisa ser bastante dinâmico. Evitamos o abandono valorizando cada página visitada. Cada cliente tem seu perfil, suas preferências de navegação, então, um formato personalizado, segmentado, acaba sendo naturalmente a lógica para um ambiente moderno que “simpatiza” com o visitante e garante uma permanência maior dentro da loja virtual. Isso só pode ser feito com um controle de gestão maduro e dedicado.

Parceria com a Webjump

WJ: Na sua opinião, qual a importância de fazer o desenvolvimento de um e-commerce com um Partner Oficial da Magento? E qual a visão da empresa com relação ao trabalho que a Webjump vem desenvolvendo?

RP: Um dos desafios que vejo no e-market nacional é filtrar o mercado e encontrar aquele profissional gabaritado para desenvolver Magento conforme as expectativas do cliente. Por ser uma solução de código aberto, há inúmeros benefícios em se tornar um desenvolvedor Magento, e as opções são extensas. Em contrapartida, a comunidade é extremamente grande, e muitas vezes o profissional (ou a empresa que desenvolve) não se mantém atualizado, utilizando recursos obsoletos e incompatíveis com o site. A Webjump sempre buscou acompanhar as melhorias lançadas pela Magento e, por ser um parceiro certificado e dedicado, tem profundo conhecimento do que há de mais moderno nas ferramentas Magento. É notório o know-how de toda a equipe, observado pelo crescente número de novos grandes projetos este ano; muitas vezes, seus clientes pedem complexas customizações que em poucos dias são entregues. Desde que iniciei meu relacionamento com a Webjump, independente do projeto, não houve o que esse pessoal não fosse capaz de fazer para seus (nossos) clientes, seja no B2C ou B2B.

Envie um Comentário

YOUR CAPTCHA HERE